sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Como foi

Vamos nos encontrar
Não porque queremos
Não porque planejamos
Tu nem sabes que eu vou chegar

Penso uma coisa
Pode ser outra
Penso outra coisa
E pode ser uma terceira ainda não pensada

E o que será
Fico eu imaginando 
sem certezas

Seja o que vier
Que venha sem doer
Que não abra feridas
Que tampouco as cubra
Que deixe as cicatrizes lá
Como lembranças do que um dia foi

--

Não sei porque, me pareceu mais fácil contar o que está para acontecer através um poema. Já peço desculpas imediatas pela mediocridade dele, mas é como saiu de mim. Não dava para ficar guardado.

E é isso. Não vai demorar muito. Em menos de duas semanas encontro, por um período indeterminado de tempo, com alguém que eu tenho tentado, com sucesso-(bem)parcial, esquecer pro quase um ano. E o que será?

Te queria bem verdadeiramente

2 comentários:

  1. Eu creio que não há nada pelo o que pedir desculpas...

    Se tal encontro é capaz de gerar esse poema, talvez seja sinal de que ele valha a pena acontecer... ninguém sabe o que virá, então... podemos transformar o poema em uma oração...

    "Seja o que vier
    Que venha sem doer
    Que não abra feridas
    Que tampouco as cubra
    Que deixe as cicatrizes lá
    Como lembranças do que um dia foi"

    Que seja acima de tudo um bom encontro! :)

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está vindo. Uma semaninha e veremos...

      E obrigado por retomar esse pedacinho! Que ele funcione bem!

      Abraços!

      Excluir