terça-feira, 5 de novembro de 2013

Você não tem vergonha do seu preconceito?

Acabei de ver este vídeo aqui embaixo! Super fofo (na maior parte)! Não fazendo o spoiler, mas sendo obrigado a fazê-lo, uma criança, possivelmente pela compreensão dos pais e familiares sobre gays me deixou um pouco triste, mas as outras crianças compensaram bastante a falha deste um.

É engraçado: ele é novinho - tenho que levar isso em consideração -, mas não consegue responder o porquê de não gostar de gays. Para mim, isso é simplesmente uma reprodução do que ele tem em casa. E, vamos combinar, preconceitos são formados assim mesmo.

E para tentar confirmar isso eu vejo o que tem por detrás da minha própria história. Minha família (considere aqui parentes de primeiro grau) sempre viveu com preconceitos bem velados. Aquela coisa de se mostrar bem bacana para todos, mas esconder um pouco dos seus preconceitos. Com relação a não heterossexuais, até mesmo pela pouquíssima convivência que todos tivemos na época que eu era criança e adolescente, seria um pouco injusto apontar qualquer falha, mas das poucas oportunidades de vivência, sempre tinha aquele famoso "pé atrás". Porém, o preconceito racial sempre foi um pouco mais "apurado". Infelizmente, cresci ouvindo famosos ditados "dos brancos" em relação aos negros. E eu tenho vergonha por eles de terem reproduzido isso. Mas tenho orgulho de ter conseguido pensar com minha própria cabeça e tenho orgulho de hoje poder repreender qualquer comentário que venha como preconceito.

Fato interessante é que, minha avó, uma pessoa fantástica e super querida por todos, que mesmo não tendo chances de ter estudado muito, sempre foi uma pessoa muito sábia. Mas, este ano, tive minha primeira discussão com ela. Bem, talvez não posso falar que foi discussão, mas eu a repreendi após um comentário racista que me surpreendeu ser proferido por ela.

Numa outra oportunidade, fui repreendido por ela por um comentário que eu não sei nem "classificá-lo". Estávamos falando sobre alguma coisa de que eu precisava fazer e ela disse que "deus irá ajudar". Eu simplesmente disse que "eu que não trabalhe para ver".

Enfim... o que muita gente entende como "vitimismo", eu entendo como forma de legitimar um preconceito. Dizer coisas como "racismo contra pessoas de pele clara", "heterofobia", "cristofobia", "feminismo como machismo invertido" etc. apenas legitima o preconceito contra pessoas de pele escura, LGBTTT's, ateus e mulheres, por exemplo. Para muita gente, parece difícil entender, mas não é: grupos que dominam há séculos e que têm o achismo da superioridade não tem o direito de se acharem superiores aos demais simplesmente porque não há superioridade quando se trata dos direitos humanos. Todos somos iguais perante a lei. E, mais do que isso, perante a natureza! Se todos estamos aqui, acho que temos o dever de zelar pelo direito do outro.

Ah, e o vídeo... (Sorry, só tem em english! E a legenda automática é horrível!)



Update:
Em Português (a legenda não tá perfeita, mas dá para entender)
http://www.youtube.com/watch?v=LQ3xWu0PB2k