quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Carta a Feliciano

Não sei como iniciar esta carta. Colocar "Querido" seria demais até para mim. "Caro"? Não! "Caro", embora eu utilize para me saudar desconhecidos, no seu caso eu não poderia por dois motivos: o primeiro é que você é um velho conhecido. O segundo, e mais importante, é que você não é "caro". Você é baratinho. Uma verdadeira pechincha!

Infelizmente sei que esta carta jamais chegará até você, embora eu sonhe que um dia você digite seu lindo e gracioso nome no Google e ache mais uma de suas estripulias por lá. Infelizmente, devem haver vários resultados. Possivelmente nenhum relevante para a raça humana, mas é o seu papel, certo? Você deve ter sido destinado a isso: a ser alguém que veio trazer a tempestade. A bonança ainda ficaremos aguardando.


Não me tira a curiosidade de saber o porquê de tanto se importar com a orientação sexual alheia. Fique tranquilo, pois não vou cair na falácia de apontá-lo como homossexual enrustido. Nunca entendi a necessidade das pessoas de tentar explicar os sentimentos que você tem pelos não heterossexuais como uma forma de auto repressão. Caso você não saiba, não há somente "gays" que existem além dos não heterossexuais. Quando você expressa os seus sentimentos (que eu não sou capaz de identificá-los de uma forma muito coerente), você os expressa em relação aos gays, às lésbicas, aos bissexuais, aos transsexuais, aos travestis, aos transgêneros, aos assexuais, aos pansexuais etc.

Quando te chamam de "enrustido" ou "encubado" eu me revolto. Eu fico triste. As pessoas não são capazes de entender que os não heterossexuais, muitas vezes, são enrustidos por diversos motivos pessoais visivelmente forçados por uma sociedade historicamente heteronormalista. E eu não creio nem espero que seja o seu caso. É um pouco egoísta da minha parte, mas eu preferiria que Dancing Queen ou It's Raining Men nunca tivessem sido gravadas a ter você como alguém que compartilha a mesma orientação sexual do que eu. Não sei se fui muito claro, mas eu sou homossexual. E me sinto ofendido quando falam que você tem a mesma orientação sexual do que eu. Não que eu me sinta melhor por ter a sexualidade que tenho, mas pelo orgulho de ser quem eu sou e que você possivelmente jamais terá razões para se sentir desta mesma forma. E, não, você não precisaria ser não heterossexual para se sentir assim: só precisaria ser, em um simples palavra: humano.

Veja que estou utilizando o termo "orientação", o qual ainda é o mais usado por publicações de termo científico. Não utilizei "opção", pois espero que saiba que, assim como você, eu não escolhi qual seria a minha sexualidade. Confesso que atualmente prefiro o termo "natureza sexual", mas preferi não perturbá-lo com novas nomenclaturas para termos que possam confundir seu entendimento. Não estou, de forma alguma, duvidando de sua capacidade, mesmo sendo capaz de lembrar de todos o seu histórico recente. Apenas peço que utilize um termo, em especial, de forma correta: quando se trata de uma orientação (ou natureza) sexual, por favor, identifique-a com o sufixo -dade. Você não gostaria que utilizassem o termo "heterossexualismo" para referir à sua sexualidade.

Voltando aos seus sentimentos em relação a nós, não heterossexuais, fico me perguntando: "Por que será que somos pauta principal em tudo o que ele faz? Será que isso é coisa da mídia?". Fico pensando se você é algo fabricado para nos espantar das outras atrocidades políticas que acontecem no Brasil. Acho essa uma possibilidade bastante válida. Mas não creio que é somente isso: você tem sentimentos muito fortes além disso.

Eu fico pensando se tudo isso é resultado da sua educação de cunho religioso. Confesso não ter nenhuma fé em qualquer ser divino ou coisa assim, então fico pensando se eu sou muito fraco para não conseguir acreditar em deuses e criaturas que o poder extrapolam os limites da minha imaginação. Devo, claro, me voltar especificamente ao deus no qual você acredita que, por ironia ou não, é chamado de Deus. Simples assim. Provavelmente você não acredita ou considera a existência de outros deuses, afinal, o seu deus é correto e as palavras dele são as únicas válidas para quaisquer referências para toda nossa existência.

Creio que você acredita em tudo o que está escrito na Bíblia. Note que estou escrevendo o nome do seu livro sagrado em maiúsculo, mas não se anime: não é um grande sinal de respeito da minha parte; é apenas uma forma de tratar um livro que decidiu se dar um nome próprio. Assim como o iPhone, que não é um celular e nem pode ser escrito como "Iphone". O iPhone é escrito assim: iPhone.

Imagino que parte dos seus sentimentos com relação a nós, não heterossexuais, vem da sua interpretação sobre as passagens referentes a sodomia entre homens (não vou utilizar aqui os conceitos de sexo biológico para não confundi-lo ainda mais) ou que trata de homossexuais. É uma interpretação que, com certeza, é tido como válida por você, mesmo que seu livro sagrado tenha sido escrito por muitas mãos e em diversas épocas da história. E, claramente, não vou aqui utilizar formas de refutar seu pensamento, assim como os ateus fazem. Não se preocupe: eu não entrarei em questões como a validação da escravidão, a inferiorização da mulher, o grande e relevante milagre para toda a humanidade de transformação da água para vinho ou, a minha preferida, a história de Noé e todos os animais de todo o planeta na mesma arca.

Como eu disse, eu não quero causar nenhum desconforto por conta de sua crença, inclusive pois há muitos não heterossexuais que buscam conforto espiritual em templos religiosos. Mas, pelo o que eu entendi (por favor, me corrija, se eu estiver errado), eles não deveriam ir a templos nos quais eles não são bem vindos. E eu fico intrigado em saber se há uma lista de templos permitidos e templos não permitidos. Pelo o que me lembro, as maiores, fortes, poderosas e ricas religiões do Brasil são bastante excludentes em relação à sexualidade. Não vou entrar nesse mérito. Aposto que, mesmo você, é capaz de compreender o que estou falando, pois tem melhor conhecimento do que eu. Afinal, quem é grande briga com quem é grande. Brigar com o pequeno é covardia, embora eu reconheça que é mais fácil vencer e, conhecendo você como conheço, não se negaria a confrontar algo que não está em acordo com o seu pensamento, por menor que seja o adversário. Alguém por acaso escreveu as regras de como isso seria covardia? Não seria covardia não vencer?

Como diria aquela infame piadinha ateísta, "templo é dinheiro". Novamente, espero não ofendê-lo por isso. Todos sabemos que dinheiro é fundamental e precisamos dele para abrir caminhos. E, claro, o caminho para o céu não poderia ser diferente. E grande parte do seu trabalho é justamente direcionar quem vai seguir o caminho até o céu. Ainda bem que você tem uma visão holística e sabe que nem só dinheiro é capaz de conduzir as pessoas ao céu, mas oferendo o cartão e a senha já é um excelente primeiro passo.

Se eu tivesse apenas alguns minutos ao seu lado, embora eu precisasse muito conter todos os meus sentimentos que, ao contrário do que você sente por mim, são bem claros, eu gostaria apenas de lhe fazer algumas questões. E, para adiantar nosso processo, creio que posso já apresentá-las: Por que precisa tanto de nós? Por que somos tão importantes para você? Qual a sua necessidade de interferir nos caminhos alheios daqueles que não solicitam sua ajuda? E o seu deus... será que ele está feliz com o seu posicionamento? Será que ele aprova todos esses sentimentos que você tem dentro de si?

Infelizmente, eu jamais terei respostas suas. E, mesmo que eu tivesse, me pareceriam muito previsíveis. Eu iria esperar algo diferente de você. Colocar todas suas convicções em um livro e na sua religião me causaria uma fadiga involuntária. Me explicar que o seu deus o qual, na teoria religiosa, teria criado tudo e todos, me fez como um erro, tiraria dele sua onipotência e sua onisciência. Expor que eu cresci em um território não propício, seria injusto à minha família composta de pais heterossexuais e portadores de fé.

Felizmente, você não poder explicar o porquê da minha homossexualidade ou da ausência de fé que (não) possuo. Digo "felizmente", pois nem a ciência, que é algo em que procura respostas ao invés de proibir questionamentos consegue me informar com precisão o porquê de tudo isso. E, para mim, isso é um alívio, pois sei que, talvez um dia, a ciência poderá me dar mais algumas respostas sobre seja lá o que eu perguntar à ela. Porém, você, não me oferece nenhuma resposta. Entretanto, me convida a perguntá-lo: ¿Por qué no te callas?