segunda-feira, 29 de abril de 2013

Vida, devolva minhas fantasias

Resolvi parar. Dar um tempo. Descansar.

Sim, eu tenho sido muito chato. Na verdade, politicamente correto talvez. Talvez, não sei nem o que.

Eu tô cansado de pensar. Cansado de lutar. Cansado de ficar me esquentando com a ignorância alheia. Cansado de me estressar por algo que parece que só cresce: intolerância.

Não aguento mais abrir os jornais e ver os absurdos desse país. Desde o padre que foi excomungado por ir contra aos princípios segregativos e intolerantes da igreja, passando por projeto de cura gay e chegando aos estratosféricos valores da já perdida copa do mundo que tem custado mais de 10 vezes ao valor inicialmente projetado. Não estou afim de procurar o valor correto, mas é algo por volta de 110 bilhões de reais.

Obrigado, Brasil. Você está vencendo. Está me fazendo perder qualquer esperança que eu tinha dentro de mim. Tirando qualquer vontade que eu tinha de construir uma vida no "país do futuro". Hoje eu estou me sentindo uma pessoa que não tem terra amada, que não tem para onde fugir.

Só posso concluir que eu sou o índio americano e nossos governantes e fundamentalistas religiosos são os europeus. Eles querem acabar comigo. E eu, preocupado demais em ser feliz, não percebi que o espelho trago como presente quebra e fere.

Hoje, pela primeira vez na vida, preferiria ser compatriota do Maradona do que do Pelé.

UPGRADE (not update!) - como a música do KLB é muito ruim mesmo, fico com a da Kátia, a cega:

sábado, 27 de abril de 2013

HOMOFOBIA - NÃO FAZ SENTIDO!

Segue aí o vídeo do Felipe Neto contra a homofobia. Mandou bem! A única ressalva fica por conta do termo "práticas homossexuais" que ele usa!

Porra, Felipe! Sério? Ninguém por aí sai falando "práticas heterossexuais". E também seria difícil descrevê-las, assim como dizer o que são "práticas homossexuais".

Entendi o que seria isso, mas vamos trocar isso aí por "homossexualidade"? Eu não fico "praticando" coisas gays: eu sou gay e vivo assim. Não faz diferença a minha condição sexual.

Vi os comentários que estão surgindo sobre o vídeo e, claro, são doentios. Por isso, vale uma lista das coisas que eu não entendo:

1. Por que algumas pessoas heterossexuais que parecem viver simplesmente para fiscalizar a vida amorosa alheia, principalmente utilizando a religião como motivo:


2. Por que, geralmente, os homofóbicos destroem a Língua Portuguesa (alguns comentários ESPLÊNDIDOS que acabei de retirar do vídeo abaixo):

3. Por que as pessoas utilizam do argumento que "gays se casando vão acabar com a família" ou "gays adotando crianças vão transformá-las em gays". Oras, vamos lá: meus pais são heterossexuais. Era para eu ser heterossexual, não? Os meus amigos gays, incrivelmente, também são filhos de heterossexuais. Se um casal, hetero ou gay, o qual os dois são negros, de olhos castanhos e canhotos, adotarem uma criança branca, de olhos claros e destra, com a convivência, ela passará a ser negra, de olhos castanhos e canhota?


4. Por que ateus (que não acreditam em divindades, incluindo o deus cristão) acreditam na existência de Jesus (que ao invés de proporcionar a paz estava mais preocupado em transformar água em vinho para seus convidados):


Aí, perguntam: se Jesus nunca existiu, como explicar a existência da bíblia? Bem, se Harry Potter nunca existiu, como explicar a existência de livros sobre ele? Se Sherlock Holmes não existiu, como 58% dos ingleses acreditam na existência dele? Como 23% dos ingleses acreditam que Churchill é um personagem fictício? E como foi te contar que não era papai noel que te levava os presentes de natal?

5. Como qualquer pessoa no mundo consegue/se permite bloquear a existência de conhecimento a partir de milhares de publicações científicas feitas durante vários milênios (pelo menos 5 mil anos!) a respeito de tantas coisas sobre o universo para acreditar em um livro no qual não existe NENHUMA referência da  existência dos fatos que estão escrito lá? Porque, por favor, se você acreditar na história da arca que juntou TODOS OS ANIMAIS DO MUNDO EM UM MESMO LUGAR num barco menor que o Titanic, de abrir um mar com um cajado ou que se você tiver um escravo, você chicoteá-lo e ele morrer só no segundo dia e você está salvo do pecado:

 

Ah, é... o vídeo!


Se for acreditar em alguma coisa, acredite em VOCÊ
 e na sua capacidade intrínseca de respeitar as pessoas.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Papai e papai

Ok, eu cheio de lágrimas nos olhos escrevo este post. E hoje, pelo menos, é por conta de coisa boa.

Uma reportagem do iG me deixou emocionado de verdade. É tão bom ver algo assim que eu não sei como pode haver alguém contra.

Mas, novamente, o amor venceu. O ódio, o preconceito e a intolerância hoje não serão vistos, não serão admirados perplexamente.

Parabéns para o André e o Angelo. E que sejam muito felizes juntos aos delicinhas do Jonathan e da Valentina.

Vejam a reportagem:



domingo, 21 de abril de 2013

Vida inteligente




(Terra no Universo observável: porque, dentro do quinto maior ou quarto menor planeta do Sistema Solar, você é importante demais e tem que fiscalizar a vida alheia!)

Eu não me lembro quando havia vida inteligente na Terra (com "T" maiúsculo). Isso porque eu não acredito nas coisas que vejo, leio etc.

Acho que a humanidade ainda não conseguiu chegar no seu ponto mais alto de elevação. E na verdade, acho que nunca vai chegar, porque sempre haverá alguma coisa a melhorar.

Eu fico atônito com coisas idiotas como as palavras e ou sentenças escritas para encontrar este blog. Coisas como "orgulho de ser hetero" ou qualquer outra coisa blábláblá "hetero" tem surgido. Eu fico com uma só questão na cabeça: QUE DIFERENÇA FAZ NA SUA VIDA ALGUÉM SER GAY? A teoria machista (talvez real) de que "é bom que sobra mais mulher" não faz sentido? E você, mulher? Você consegue ser homofóbica? Me diga como é achar que você pode fazer um gay virar hetero e querer você! Por que se preocupar com quem as pessoas gostam, se esta pessoa não é você? Por que ser delegado(a) da vida afetiva de outras pessoas? Por que achar que pessoas deveriam ou querem ser "convertidas" a heterossexualidade, como se isso fosse algo especial?

Outra coisa imbecil é o não entendimento de questões absolutamente básicas, como o caso do casamento.Vejo pessoas discutindo que não aceitam o casamento gay porque a igreja não aceita! PELAMOR de RuPaul! Casamento é um direito constitucional e não tem nada a ver com o casamento religioso! Qual a dificuldade das pessoas em entender isso? Precisa ter o QI de Einstein para isso? Acho que não, visto que eu entendo isso e tô muitíssimo longe do QI dele!

Eu não lembro de quando todas as pessoas se preocupavam em trazer alegria uma para as outras, mas lembro das pessoas se preocupando de pessoas do mesmo gênero se beijando. Não lembro de quando as pessoas gostavam uma das outras e se ajudavam, mas lembro das pessoas se segmentando, excluindo pessoas que elas julgam inferiores a ela. E, infelizmente, lembro das pessoas sendo assassinadas e tirando suas próprias vidas. E não é porque são homossexuais, mas sim porque é difícil viver com as pessoas te julgando e não te apoiando.


Sério? Até quando vai ter isso? Quando chega à Terra vida inteligente para nos salvar? Porque sério... não pode ser chamado "ser dotado de inteligência" alguém que é a Rachel Sheherazade.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Moçx, você é gay e homofóbicx!

Uma das coisas que me chateiam bastante é ver na internet e, mais triste ainda, na vida real, inclusive com pessoas do meu convívio, a falta de conhecimento e entendimento sobre as condições sexuais não-heterossexuais.

Obviamente, não sou especialista em questões de identidade de gênero e afetividade, mas tenho (pelo menos acho que tenho!) um bom senso de altruísmo.

Por conta disso, fico chateado quando vejo gays homofóbicos. Sim, você sabe que existe isso. Muitos gays não gostam de gays que "parecem" gays, que se vestem de uma maneira "gay", que falam de uma forma "gay" e que utilizam o termo "gay" para referir que algo não é considerado bom nos padrões que eles julgam ou por acreditarem que os gays "gay" podem passar uma imagem que não os representa.


Não me agrada referir a algo como "gay" para diminuí-lo ou tratá-lo como inferior. Não me agrada ouvir de um gay como outro gay deveria ser (Entende-se aqui em relação aos trejeitos do indivíduo. Obviamente eu não vou discutir sobre questões de comportamento social que são esperados das pessoas socialmente, independente da condição sexual).

Penso nisso porque nos últimos dias eu ouvi ou li frases como (todas expressas por gays):

1. "Gay que quer ser mulher tem que apanhar mesmo"

2. "Não tinha que ter passado no Jornal Nacional o caso da Daniela Mercury. Não acho que é um fato jornalístico"

3. "Falar do Feliciano só dá mais ibope para ele. Tinha que ignorar isso"

As conclusões que eu tiro desses casos são as seguintes:

1. Talvez a frase mais imbecil e que menos tenha coisa a falar. A falta de conhecimento e respeito com relação a quem tem trejeitos considerados mais femininos (e nem por isso deixam de ser homem!) é absurdo. E mais absurdo ainda é em relação aos transexuais.

2. Futebol, Rock in Rio, casamento de Ronaldo fenômeno com Cicarelli, Carnaval, vinda de pinguins na costa brasileira e muitas outras coisas não me parecem fato jornalístico. Se em um lugar onde se noticia sobre um casamento de celebridades não puder falar de uma cantora de destaque nacional assumindo sua relação homoafetiva, principalmente por conta dos destaques políticos dos últimos meses, eu acho que deveria cancelar a exibição do jornal. ("Artur"... essa é uma crítica que eu te fiz pessoalmente e você falou que eu não te fiz mudar a opinião. Não estou colocando isso aqui para deixá-lo irritado, mas para mostrar um ponto de vista que eu tenho sobre algo e que espero as pessoas possam compreender. Como te falei, foi algo que eu realmente não esperava de você vir uma opinião contra isso simplesmente porque é algo que você considera mais uma fofoca do que um "fato jornalístico". Mas, como te disse, espero que esse não-fato jornalístico, possa ter entrado em muitas casas e ter feito as pessoas pelo menos refletirem sobre isso). Por isso sugeri este texto.

3. Complementa um pouco do 2. É fato que isso dá sim mais ibope para o infeliz e possivelmente mais votos na próxima eleição, mas ignorar as falas e ações dele com certeza não é a melhor coisa a se fazer. Ignorar algo que possa incomodá-lo ou machucar muitas pessoas pela qual você deveria ter um pouco de altruísmo, não me parece uma coisa muito inteligente a se fazer. E deve falar que concordo bastante com a fala da atriz Letícia Sabatella

"Feliciano é uma bênção de Deus, porque enfim as coisas vão acontecer em relação a homossexualidade, ao preconceito. Ele tem uma moral tão nazista, arcaica e egoísta, que está servindo para parecer o horror disso tudo. As pessoas estão se manifestando, assumindo suas relações. É um mal que vem para o bem”.

Com a minha convicção ateísta (não acredito no deus cristão, e assim como você, não acredito em Allah, nem nos deuses indianos, nem nos deuses nórdicos, nem no deus polinésio e nem em vários outros! Ou seja, acredito em um deus a menos, apenas! Logo, meu caráter é social e não religioso! AINDA BEM!), eu só acho que seria desnecessária essa "bênção". Assim como várias outras.

De qualquer forma, fico imaginando e fazendo a minha parte para um mundo melhor. Espero que um dia a imaginação seja bem real.


Texto recomendado (porém não para pessoas de "fé inabalável"): 

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Esplêndido sol

Eu não sou psicólogo. Na verdade, até pensei em ser, mas hoje acho que não. A mente humana é complexa demais para os meus desejos de conhecer só um pouquinho de cada coisa. Eu prefiro minhas "pesquisas empíricas". Prefiro observar, sentir e tirar minhas conflituosas conclusões, que sempre vão mudando. Ou não. Às vezes sou um pouco inflexível para as coisas, principalmente para aquelas "verdades absolutas" que eu coloco na cabeça. Pouquíssimas coisas são assim na minha cabeça (pois acho que muita coisa pode mudar muito), mas algumas coisas não.

Uma coisa é o sentimento de preconceito. Sim, as pessoas podem mudar, podem não ter mais os preconceitos que tinham. Mas, de qualquer forma, é uma imbecilidade imensa. E é bom se uma pessoa tem noção que ela pode mudar isso; que ela pode se "recuperar" dos seus julgamentos equivocados.

Jogando isso para os dias atuais, temos vários exemplos. Começando por um antigo e completamente imbecil: o preconceito com relação ao tom de pele (me recuso a usar o termo "raça"). Eu seria um imbecil se falasse que o preconceito ocorre, majoritariamente, de todos os tons de pele. Obviamente que os que possuem tom de pele escuro são os sujeitos receptores do preconceito. No Brasil, vivemos uma falsa igualdade em relação à isso. Ainda hoje, depois de quase 125 anos da Lei Áurea, vivemos resquícios do tempo da escravidão. Falo isso porque eu vivi (e talvez ainda viva) isso. Os fatídicos ditados "não faça serviço de preto" ou "preto quando não caga na entrada, caga na saída" ainda existem.

A mesma coisa vivemos nós, não heterossexuais: não somente por conta de ofensas verbais, mas também físicas. Muitas vezes ouvimos palavras que jamais precisariam ser ditas saindo da boca das pessoas que amamos. Muitos de nós apanham na rua por beijar na rua.

Outro exemplo é por conta da religiosidade ou não religiosidade: os não cristãos são ofendidos, verbalmente e fisicamente.

Será que é melhor ficarmos calados e fingir que os preconceitos não existem? Será que a solução é simplesmente ignorar a existência de sentenças que ferem, de violências físicas e psicológicas? Será que devemos nos calar e permitir que (in)Felicianos da vida controlem o país e façam um Brasil no qual a bíblia é a constituição, os negros sejam extraditados para a África, índios evangelizados, homossexuais tratados em clínicas de recuperação e Jesus Cristo seja o Senhor?

Pois é: este é o Brasil que está sendo construído. É o país que prefere crescer a taxa do PIB; crescer o montante desviado para ilhas fiscais; crescer o número de templos para salvação de almas a partir doações "opcionais compulsórias" de parte dos salários. Este é o país que não está preocupado em investir em pessoas; que não pensa em investir em saúde, segurança pública, educação. Afinal, é mais fácil controlar a população do sétimo país mais rico do mundo sendo sexagésimo sétimo no índice de educação no mundo.

Talvez a maior parte dos problemas do Brasil vem da educação, mas não só isso. Sinto as pessoas fragilizadas, sinto que perderam a vontade de viver. A ganância de parecer ser melhor do que são faz com que as torne mais medíocres. As pessoas parecem não ter forças internas de se sustentar, de viver para elas mesmas. Precisam de explicações ilógicas, irracionais e espirituais para viverem. Precisam de pessoas para conduzi-las a caminhos que não deveriam seguir; não querem mais descobrir por elas mesmas.

Vivemos hoje sob uma cortina que ofusca o verdadeiro sol e isso parece não incomodar, porque é cômodo deixá-la lá. Parece fatigante buscar retirá-la. Parece que ser fantoche dá menos trabalho que ser humano. 


Que pena! A vida é mais interessante para quem põe os pés no chão e sente as pedras e, mesmo doendo os pés, segue todo o caminho sem medo de ser feliz. E sem medo de ver o brilho do sol.


segunda-feira, 8 de abril de 2013

Quantas guerras terei que vencer...

... por um pouco de paz?

Confesso não ser fã da Daniela Mercury. Uma vez, inclusive, vi um vídeo no qual a achei bem rude.

Confesso também ser menos fã ainda da Globo, mas vi um compartilhamento da entrevista dela no Fantástico e fiquei feliz. A entrevista mostra outras famílias homoafetivas e, para mim, foi a melhor parte. Portanto, acho justo dizer que recomendo ver isso:


Confesso também que antigamente gostava de axé. Hoje, acho que nem existe mais aquele axé gostoso de (putz...) 15 anos atrás. Mas desde que começou essa história toda do (in)Feliciano, uma música começou a tocar na minha cabeça e acabou virando meu hino para superar tudo isso, antes mesmo da Daniela assumir o casamento com a sua esposa. Acho que a música traz uma energia boa! Sente aí:



Eu queria
Que essa fantasia fosse eterna
Quem sabe um dia
A Paz vence a guerra
E viver será só festejar

domingo, 7 de abril de 2013

Não tenha uma boa noite

Queria poder ter tido uma boa noite. Mas não, para variar, não pude.

Na foto, você vê o André Barbosa, que foi agredido na madrugada deste sábado em Balneário Camboriú.

E mais um pouco da minha esperança com o Brasil morre. Porém, ao contrário de nos calar, o que deve ser feito é ir contra isso. Não suporto mais ver as barbaridades que existem neste país.

Veja o depoimento abaixo do André. Força, André! Pode ter certeza que compartilho da sua dor e que não vamos nos calar diante a violência. Que você se recupere logo!





Na madrugada de dia 06/04/2013 fui comemorar o aniversário do meu melhor amigo por volta das 01:30 da madrugada na famosa boate 2ME no dia que recebeu o TOP DJ Goodwil, foi a primeira vez que eu fui a casa, a pista estava lotada assim como os camarotes, porém aconteceu um fato que não posso me calar, pois como podem ver fui vítima de homofobia, estava tudo normal como deveria ser, todos dançando e se divertindo, em um momento da festa voltando do banheiro um menino me puxou se identificou, conversamos e nos beijamos, me despedi dele e voltei para meu grupo de amigos que estavam perto da porta de saída da casa, algum tempo passou, e novamente esse mesmo menino passou por mim e nos beijamos mais uma vez, um beijo normal, sem promiscuidade sem desrespeitar ninguém, o meu grupo de amigos acharam normal também, pois já sabiam da minha opção sexual, o beijo não durou cerca de 1 minuto e assim que terminamos fui abordado por um chefe da segurança da casa, com uma cotovelada no peito ele me disse “Não quero ver você beijando mais aqui dentro” No momento fiquei sem reação, perguntei o que estava fazendo de errado, foi ai que meus amigos se revoltaram e começaram a chamar o mesmo de homofóbico, como houve um tumulto logo um dos seguranças bem maior do que eu, pois tenho 1,67 e peso 54Kg me pegou pelo o pescoço me arrastando pra fora da casa, eu não me alterei em nenhum momento pois fiquei em choque por aquilo estar acontecendo só por eu ter beijado outro homem, não agredi o segurança fisicamente e muito menos verbalmente, na saída da casa o segurança alegou que eu havia agredido com um soco na boca para alguma responsável da entrada da 2ME mas isso não aconteceu de forma alguma, fiquei sem reação no momento achei tudo um absurdo. Mas então foi quando esse segurança e mais outro segurança me levaram para a porta da 2ME e começaram a me agredir me chamando de viadinho de merda e até me ameaçaram falando que iriam me matar e só pararam quando meus amigos chegaram na frente da 2ME.

Bom o que tenho mais pra dizer? Estou em choque com tudo que aconteceu, estou com o nariz quebrado, minha cabeça não para de doer e tomando remédios e tenho que me calar? Sei que estou me expondo muito, mas isso não podia ter acontecido de forma alguma, eles estão errados e eu vou procurar justiça e aqueles que estão no meu facebook e concordam com os atos dos seguranças por favor me exclua, já aqueles que acham isso uma injustiça por favor compartilhe...


Link: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=447045695373711&set=a.117499628328321.21908.100002048525275&type=1&theater

My eyes!!!

Daí, você abre o Facebook e ver que a página Pároquia Jesus de Nazaré posta a seguinte foto:



"Senhor Jesus, peço-vos que quebre as muralhas das doenças, sejam elas quais forem, principalmente o câncer, leucemia, depressão e AIDS, dependência do álcool, prostituição e homossexualismo"

Daí, você abre o Yahoo! e aparece essa reportagem: Quanto menos inteligente, mais preconceituoso, diz estudo.

Daí, você conclui que nem precisa fazer uma crítica a tal página/foto/a pessoa que fez a apresentação, seja pelo nível de ignorância, desconhecimento e má utilização da língua portuguesa.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Top 5 Coices

Hoje teve tanto coice bem dado que não consegui ficar calado! Eu tava dando uma folga de mim, mas hoje tá gostosinho, tá merecendo...

Hoje, então, apresento o TOP 5 COICES BEM DADOS edição 04/04/2013:

#5 - O pessoal do Porta dos Fundos criticando o assédio sexual no trabalho de uma forma criativa.


#4 - O ator Alexandre Nero respondendo a uma fã


#3 - O deputado Jean Wyllys no Saia Justa de ontem


#2 - Hotéis Mercure respondendo ao infeliz comentário do sempre infeliz Rafinha Bastos:




Queridos procuradores por "orgulho de ser hetero" que chegam aqui pelo Google. Sério que vocês precisam disso? Vocês não tem já todos os direitos que precisam? Ou além de poder chamar mulher de gostosa (#machismo), tomar cerveja e fazer churrasco agora vocês querem fiscalizam quem as pessoas alheias a vocês deveriam se casar ou amar?

Então... antes de serem daqueles curtidores ridículos daquela página, lembrem-se que não é da sua conta com quem as pessoas se relacionam. Não é da sua conta as roupas que as pessoas vestem ou o tipo de corte do cabelo. Cuide da sua vida!

E se vocês estão tão preocupado com a saída do Renan Calheiros e outros vagabundos da política, façam vocês mesmos os protesto! Não tentem diminuir as causas alheias por conta da incapacidade de vocês de lutar por qualquer coisa. 

Com carinho, 

Vinícius.