domingo, 27 de janeiro de 2013

Tragédia em Santa Maria - RS

Nessa mesma noite que eu sai para me divertir em uma boate, outras 2000 pessoas fizeram o mesmo em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Infelizmente, pelo menos, 245 delas não voltaram para casa como eu voltei.

Eu ainda estou paralisado com a notícia e não sei o que dizer.

Como se não bastasse a dor, ainda somos obrigado a ver isso aqui:


 hope it was full of gays.

Noite hetero

Acabei de chegar de uma "noite hetero". Por minha sugestão, saí com umas amigas para um bar dançante hetero. Sério que eu não me lembro de estar em um bar dançante/boate hetero antes.

Durante minha "estada" lá, só queria chegar em casa para vir contar aqui a "experiência antropológica" que eu tive!!! Tá... também tinha muito a vontade de me estapear por ter indicado para ir!
Para começar... isso aqui NÃO é uma crítica. Aqui eu vou, obviamente, analisar minha "visita" ao "mundo HT" a partir da minha visão. EU analiso. Logo, uma visão parcial de um gay, que pode ou não ser compartilhada por outros! Mas, de qualquer forma, é o que eu vi e senti!

A primeira coisa diferente é a música: cadê Britney? Cadê Rihanna? Cadê bate cabelo? Era um bar de rock! Eu não entendo absolutamente NADA de rock! O povo cantando TODAS as músicas e eu sabia, sei lá, duas! Claro que eu não curti a música, pois não é meu estilo, mas tem mais...

As pessoas! As pessoas naquele lugar simplesmente NÃO riam! As luzes estavam parcialmente acesas (muito mais que boates!), as pessoas conversavam, mas não riam! Eu achei muito estranho, visto que em balada glbtt SEMPRE tem alguém rachando de rir (e não, não é preciso estar bêbado para isso!).

Outra coisa era que as pessoas passavam por você como se você fosse uma parede no meio do caminho! Não existe "com licença", "desculpa", nem nada! Ok... isso acontece nas boates gays? CLARO! Mas, de experiência própria, geralmente a gente ou fala coisas assim ou dá aquele tradicional tapinha nas costas. Lá não! Lá o povo te empurra como se fosse uma manada! 

A questão é que eu me senti um peixe fora d'água! Não fui eu lá! Não me senti bem! E isso pode acontecer com um hetero numa boate gay também! Pode ser que ele não goste de bate cabelo, que não goste de ver "as gay" dançando até o chão e cantando loucamente a música juntos, e nem gostar de que as pessoas riem demais!

A moral da estória é que eu preciso do meu aquário para nadar feliz! Preciso do clima familiar, da música de fundo condizente ao meu gosto e ver as pessoas realmente parecendo que estão se divertido!

Prometi a minhas amigas a frequentar mais "lugares hetero" esse ano, mas vou ter o prazer de fracassar nisso! Fica pro fim as mensagens que eu troquei com minha amiga sapatão enquanto estava lá (eu comecei!):

"I'm really glad for not being straight at all!!!"

"I'm proudly gay and I don't know how to be straight! Don't wanna learn!"

"Me either!"

"Let's be gay and happy. Forever and ever."

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Ninguém é tão gay quanto nós

Coração tá extremamente apertado e parece que eu estou perdendo algo muito importante na minha vida. E, de fato, é muito!

Ai que aflição de perder algo! Ainda por cima algo que se ama e que não se gostaria de perder jamais na vida!


Essa queer drama todo é porque só faltam 5 episódios para eu terminar a última temporada de Queer as Folk! São 3 anos acompanhando lentamente a série e eu sei que agora acaba para valer!

Eu vou ficar com taaaaaaaaaaaanta saudade do Mike, Ben, Hunter, Brian, Justin, Ted, Emmett, Debbie, Lindsay e Melanie!!!! Aiiiii sofreeeeeeeeeeeendo!!!

E já continuo sofrendo porque How I Met Your Mother vai acabar ano que vem! Como viver sem Ted, Barney, Robin, Lili e Marshall???



Um último desejo para essa pobre alma "deseriado": NÃO ME DEIXE, EMILY THORNE!!!



#partiu #sofri #chorando #sefoi #praquetantahashtag?

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Eu, hetero?

Oi meninxs!!! (tá na moda esse trem de "x", né?)

Post passado eu falei de um cara hetero que "tentou" ser gay, mas não conseguiu! 

Agora... vamos trazer isso para o lado de cá!

Que gay não quis já ser hetero? Vários, né? Como eu tô egocentrista eu vou falar de mim!

Não... eu nunca quis ser hetero! Ou pelo menos não lembro de ter querido! (Tá certo isso? SDDS tia da escola dando aula de português!).

A gente sabe que essa coisa de "heteronormalidade" existe na cabeça da nossa humanidade (tipo, sei lá, no mundo todo mesmo -- deve ser porque esqueceram de estudar a Grécia antiga, mas ok, vamos voltar...) e, portanto, muita gente gostaria de se encaixar no "padrão" globo.

Essa questão para os não-heteros é seriamente importante e a gente sabe que várias pessoas sofrem por isso e, infelizmente, acabam, inclusive, se matando por não encaixar nesse "padrão".

Bem, o ponto é que eu quero mostrar é outro. Vou aqui utilizar uma pesquisa feita no blog do N.B. e que dá pra ter uma ideia de como as coisas funcionam:

Se houvesse um tratamento que mudasse a sua orientação sexual para hétero, você o faria?


Retirado do blog http://www.armarioembh.com em 15 de Janeiro de 2013.

Como podem ver, das 1031 pessoas que votaram, 531 pessoas (51%) fariam um tratamento que mudasse a condição sexual delas.


VALE LEMBRAR QUE ISSO AQUI É UMA OPINIÃO ÚNICA E EXCLUSIVA MINHA, SENDO QUE EU NÃO TENHO FORMAÇÃO ACADÊMICA ALGUMA (PRINCIPALMENTE DE ORDEM PSICOLÓGICA) PARA SUSTENTAR AS MINHAS CONSIDERAÇÕES.

Acho que é um número muito alto. Ainda penso que isso pode sim ser um reflexo dessa "heteronormalidade" defendida aí pelo mundo (inclusive dentro da cabeça de muitos gays) e que pode sim interferir na felicidade de cada um.

Não tô falando que todos deveriam ir lá e simplesmente marcar "não" (como eu fiz nessa pesquisa!). Não adiantaria muito, se a pessoa não realmente não querer que existisse algum tratamento.

Entendo perfeitamente que a "vida hetera" parece (e, na verdade, é!) mais fácil que a "vida gay": não é preciso sair do armário para ninguém, não precisa se esconder dos amigos, familiares e estranhos por uma boa parte da vida (ou por ela toda, às vezes), não é preciso viver em guetos, não é preciso sequer ficar sem palavras para responder o "E as namorada?" da tia no natal! Ah, e claro... não precisa ter medo de sair na rua porque ninguém vai te bater por conta do jeito que você veste, ou porque você tá cantando Xtina com seus fones de ouvido.

O ponto é que o preconceito de uns interfere sim na vida de muitos. Infelizmente, enquanto houver essa mentalidade de "padrão" para as coisas, muita coisa deixa de evoluir por conta disso.

Voltando ao eu (SDDS egocentrismo... não, péra!), eu não gostaria de ter essa bagaça de tratamento não. 

Primeiro porque ser não-heterossexual nunca foi doença (só na cabeça de alguns, por muito tempo, infelizmente). 
Segundo porque, embora muitas vezes a gente atravesse na vida momentos de muitas incertezas, solidão, questionamentos, desconfortos e etc (principalmente antes de nos autoassumir e assumir para os outros), isso faz crescer muito. Faz a gente olhar para o lado e ver o sofrimento do outro por conta de preconceitos infundados e desnecessários. 
Terceiro porque nunca me imaginei hetero! Não faz sentido para mim eu ser hetero! Não me vejo MESMO sendo hetero! Não conseguindo fugir de estereótipos... imagina eu no forró dançando com as rachas? E eu ouvindo "tchutchatchutcha"? Eu babando com aquela cantora amiga do Roberto Carlos que eu sinceramente esqueci o nome agora? EU COÇANDO O SACO EM PÚBLICO??? Ai gente... dou conta não!

Uma vez que usei "estereótipos, vale lembrar que SIM tem gay que ama forró, que adora sertanejo universitário, que gosta da mocinha do RC e que coça saco em público. Sendo que esse último eu nunca vi, mas deve ter!

E eu também não queria ser hetero porque eu não gostaria de forma alguma ser da "divisão de heteros preconceituosos e otários" (Ok, eu sei que preconceituoso e otário é a mesma coisa!). AmigXs, atentos para a matemática: heteros preconceituosos  heteros e NÃO heteros preconceituosos  heteros, ok? Não lembra disso, migs? Então... quer dizer que heteros preconceituosos é uma parte dos heteros e não correspondem a todos eles.

Porque só heteros preconceituosos/otários são capazes de fazer páginas como essa (aproveite e dá uma denunciadazinha!) e postar coisas como isso: http://i50.tinypic.com/4h3ywz.jpg.

Porque os heteros que não estão no grupo dos babacas com certeza têm mais o que fazer do que tentar coibir a felicidade alheia!

Nas fotos acima: heteros, fora do grupo dos babacas, que suportam o direito civil igualitário para todos.

Nas fotos abaixo: exemplos do grupo dos babacas

Porque o casamento entre pessoas do mesmo gênero não gera $$ para a igreja. 



Adoro axé, mas prefiro que meu filho goste mais da Ivete.

Cláudia Leitte diz que prefere que filho seja ‘macho’ e irrita fãs gays

sábado, 12 de janeiro de 2013

Do outro lado daqui

Oi gente! Cadê vocês? Olha eu todo carente! Parei! Mas cadê? hahaha Cadê o povo que vinha aqui? Jão, xará? Piá vc não vale pq vc vem aqui msm q eu sei! Acho!

Maaaaas então... vi trazer algo empírico! Algo inimaginável, acho!

Tá... não é nada revolucionário e nem vai mudar sua vida (acho!), mas eu acho legal e vou falar!

Conheci um cara, HETERO, que queria ser gay! Bem, eu achei unusual! Hahaha

A história é +- assim... ele já "tentou" ser gay, mas não deu! Ele curte "coisas gays", ouve "músicas gays", mas é hetero!

Eu achei isso no mínimo curioso, porque não é sempre que vemos coisas assim! E eu achei interessante, visto que o preconceito é sempre pro lado de cá, certo?

Então, e daí? E daí que, embora não seja legal, é interessante ver o outro lado. Não estou dizendo que é legal essa confusão na cabeça dele sobre seus sentimentos e tal, só digo que é interessante se pensarmos que alguém gostaria de ser diferente do que é.

E, como sabem, muitos gays gostariam de ser heteros. O ponto é que, como esse cara, as pessoas (ht ou bee) não deveriam ficar a vida inteira se auto-criticando e machucando por serem quem são. Precisam se aceitar e amar daquele jeito. O cara "tentou" ser gay e não deu! E assim ele percebeu que ele poderia ser feliz sendo hetero.

Sim... é um pouco estranho pensar no inverso, visto que o comum é alguns gays quererem ser heteros, mas é basicamente a mesma coisa: você tem que ser quem você é. É, de certa forma, "cômico" pensar em um hetero querer ser gay, mas o contrário é bacana também? Não, né?!

(Mas um enfim...) Enfim... seja você! Seja feliz! Vai, bee... vai ser você!