quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Orgulho hetero?!


Quero que, por favor, vejam isso... não precisam nem ler tudo. Por favor, acompanhe os trechos em negrito:



Acho interessante a galera saber um pouco mais sobre a origem da página e também conhecer algumas ideias e opiniões do ADM.
Por isso estou divulgando em primeira mão uma pequena entrevista que eu optei ser feita via e-mail.

1. Faça um breve histórico da página. Quando surgiu? Idealizada por quem? Qual o objetivo? Em que plataformas (redes sociais, blog, tumblr...) atuam?


- A página surgiu a partir de uma revolta pessoal do criador da página em relação a ditadura gay, eu simplesmente criei a página apenas para postar no meu perfil pessoal com o tag da página, assim: @#Orgulho de ser Hetero, então eu criei a página e postei somente uma imagem e deixei a página abandonada, pois a minha única intenção no principio era só criar um hashtag. Depois de cerca de 1 mês eu percebi que meus amigos estavam compartilhando a imagem que eu postei que já tava com cerca de 9mil compartilhamentos e a página com 14mil curtidas. Atualmente a página se utiliza apenas do facebook e tumblr.

( A imagem era falando da felicidade do homem com foto de cerveja, churrasco e uma loira. E em baixo tinha escrito "Todos contra a Heterofobia")

2. Qual a necessidade de se afirmar hétero, tendo em vista que a condição é vista como convencional pela sociedade e, em tese, não sofre repressões ou sanções dela?

- Não há necessidade nenhuma de se afirmar, assim como não tem necessidade de fazer uma parada gay e sair dizendo pra todo mundo que é gay em plena via pública. Então como toda ação tem tem reação, o Orgulho Hétero vai ser a força oposta a esse tipo de comportamento, apenas pelo fato de existir o Orgulho Hetero já abala e enfraquece o Orgulho Gay.

3. A página é vista como machista, porque traz conteúdo de mulheres semi-nuas e linguagem que vai de encontro ao que as feministas julgam como correto. Qual a sua posição desses comentários?

- A página é sim machista, e sempre será! Não irei parar de postar conteúdo só por causa que alguém julga correto ou não, iremos bater de frente com feministas, gays, falsos moralistas e vamos não só bater de frente, mas como também passar por cima de todos eles!

4. A página também é considerada homofóbica, haja vista que se utiliza de uma expressão típica da "luta homossexual". Como você avalia quem assim a define?

- A página nunca foi homofóbica, o que acontece é que esse povo alienado pensa que a gente não pode criticar gays ou qualquer outro tipo de pessoa que seja considerado discriminado ou inferior na sociedade. Eu chegar e bater com uma barra de ferro um gay isso sim vai me fazer homofóbico, discriminar, humilhar ou ridicularizar uma pessoa em público isso sim vai me fazer uma pessoa homofóbica. Então não é por que os gays não gostam da página que significa que ela é homofóbica.

5. Alguns críticos dizem que a iniciativa de movimento advindo com a criação da página se deve ao medo heterossexual diante das conquistas homossexuais na sociedade. Você acha que a condição homossexual, de fato, ameaça a "supremacia" heterossexual?

Não temos medo nenhum e muito menos nos sentimos ameaçados perante os gays, mas sim indignados pelo exerço de privilégios que o Estado esta dando para eles.

6. Tramita no Senado o Projeto de Lei Constitucional que visa a criminalizar a homofobia (PLC 122). Qual o seu posicionamento em relação a essa lei? Julga ela, de fato, constitucional? É justa ou injusta? Há necessidade da criação dessa lei?

Essa lei é inconstitucional e injusta, não tem necessidade nenhuma de criar essa Lei, pois todo mundo é igual, seria a mesma coisa criar uma Lei para punir severamente quem agredir pessoas gordas, qual diferença faz agredir uma pessoa magra ou gorda? Pois é, qual é a diferença entre agredir um gay e um hétero? As pessoas são todas iguais, e criar esse tipo de lei só vai gerar esses tipos de "diferenças."

7. Quanto aos ataques homofóbicos, como no caso de São Paulo, em que um gay foi agredido, aparentemente, sem nenhuma necessidade com uma lâmpada, como você avalia que esses atos de violência devem ser punidos?

Devem ser punidos da mesma forma que se puniria uma pessoa que agrediu um hétero, o problema tá em quem agrediu, se ela agrediu um gay ou um hétero isso é apenas um detalhe. Não se deve colocar a culpa em quem foi agredido, e sim no agressor!

8. O País já deu alguns benefícios aos gays, como a possibilidade de união civil. O que você acha dessas conquistas?

- Eu não vejo problema nenhum em eles se casarem e viverem como um casal sem incomodar ninguém, agora quando parte do fato deles poderem adortar uma criança, isso sim é um assunto que se deve ser discutido, porque querendo ou não, a criança vai sim ser influenciada.

FIM.


Vamos aos comentários (embora, de fato, extremamente desnecessários, já que qualquer pessoa com o mínimo de inteligência conseguiria ignorar todo esse texto):

1. Todos contra a heterofobia! Isso: H-E-T-E-R-O-F-O-B-I-A! Vai... vamos continuar...

2. Orgulho heterossexual enfraquece o orgulho homossexual. Essa é uma frase tão incrivelmente inteligente que fica até difícil discutir. É como falar que depois que a mulher ganhou direito de voto, o voto do homem vale menos.

5. Privilégio aos gays... poder ter uma união estável é realmente um privilégio. Isso deveria ser somente permitido para a Gretchen e para o Fábio Jr.

6. Uma lei que criminaliza a discriminação é realmente inconstitucional, principalmente no Brasil, um país extremamente aberto às várias culturas. Só não dá para aceitar nada diferente de homem, branco, heterossexual, cristão, classe média.

7. Assim como algumas pessoas apanham nas ruas por serem/parecerem gays, heteros também apanham na rua por parecerem heteros. Gays, por favor não batam nos heteros com suas bolsas da Gucci e não amassem sua blusa Calvin Klein! Isso é heterofobia!

8. Crianças criadas por gays serão para sempre gays. Assim como todos nós criados por heterossexuais somos heterossexuais. Assim como alguém criado por alguém de olhos verdes adquire olhos verdes ou cachorro que convive com passarinho passa a voar.

No mais, acho bom mandar beijos lá para o denúncia da Polícia Federal, deixando lá o endereço dessa foto com esse texto esplendido, com certeza escrito por alguém com uma inteligência de QI, surpreendentemente, negativo.

(Infelizmente ignorância parece não ter) FIM.


UPDATE 20/09/12:  o link acima, o qual continha uma  "cartilha" sobre a página "#Orgulho de ser Hetero" foi retirada do ar. Contudo, vale tirar as próprias conclusões visitando a página e vendo este blog aqui.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Então, Z

Quem acompanha aqui sabe como eu sou fã da Ellen DeGeneres.

Achei esse vídeo aqui, que não é novo, mas é, digamos, "engraçado".

A gente que está maaaaaaaaaaais pra frente na vida (olá, vinte e uns!) já não se lembra tão bem como é a vida de um adolescente e muito menos de um pré-adolescente. E muito menos da nossa tão adolescência.

A minha foi toda em Nárnia, sem muitas surpresas, para a falar a verdade. Não sei se de fato é o que ocorre, mas hoje, a geração Z (sim, já tem isso!) está muito mais confortável em ser quem são. Não vou também tirar os meus "créditos" de ser um ingênuo menino adolescente dos anos 2000, mas, para o bem (nesse caso!!!), a geração Z tem sido mais confiante e seguido em frente...

O mais legal é que eu não me recordo de ver as coisas que vemos agora. Será uma nova percepção? Na minha época não era tão fácil identificar aqueles que são gays. Correndo o risco de parecer estereótipo ou coisa do tipo, eu acho que às vezes a gente consegue definir quem é gay pelo nosso "gaydar". Às vezes falha, claro, mas é uma coisa que talvez nasça com a gente e sai apitando por aí.

Enfim... quase me perdendo aqui pela minha mente que viaja até, o post é para apresentar o vídeo de 2010, no qual Graeme Taylor, de 14 anos, assumidamente gay deixa para um tapa na nossa cara a partir de 3:45:


Graeme: Demora um tempo até você se sentir confortável com você mesmo...
Ellen: Eu sei!
Graeme: Eu passei por um período muito difícil de aceitação e quando eu me aceitei eu percebi que coisa maravilhosa é isso.

Sem dúvida (para deixar claro: na minha opinião!), a coisa mais difícil em ser gay é se auto-assumir, se auto-aceitar. O que Graeme conseguiu fazer aos 13 anos, eu só consegui fazer aos 21. Quando se é capaz de se entender, de se aceitar o mundo parece que se abre de uma forma que nunca se pode imaginar antes. Saber/entender que não faz diferença alguma na construção da sua vida, da sua felicidade o fato de gostar de alguém do mesmo gênero acaba por trazer uma paz interna muito legal. Como aconteceu comigo, acordar de um dia por outro, depois de tanto martelar aquilo na cabeça, e pensar "vou ser feliz do jeito que sou" é muito bacana.

E a gente ainda passa por isso porque a sociedade ainda acha que é errado ser assim. Daqui a muitos anos, quando não tiver mais isso, vai ser algo natural.

Não era pra esse post, mas já que encaixa, entra aqui o novo clip da Preta Gil. Beeeeeeeeeeeem... a intenção foi boa mesmo. Obviamente não é melhor música do ano, mas a mensagem foi direta e real. O clip eu sinceramente não entendi muito bem. Suspeito que seja uma crítica. Embora eu ache que seria mais bacana um clip clichézinho contra o preconceito (tipo The Best Thing About Me Is You, do Ricky Martin), taí Pretinha para dar um tapa sonoro na cara da sociedade!


Tem que ser branco

Tem que ser alto 

Tem que ser magro

Tem que ter saldo no banco



Tem que ser sábio 

Tem que ser hétero
Tem que ter cabelo
E tem que ter carro do ano

Tem que ser bilíngue
Tem que ser beautiful
Tem que ser formado
E tem que ter cartão de crédito

Tem que ser malhado
Tem que ser católico
Tem que ser bem dotado
E nada de cabelo branco

Olho pela janela e não é o que vejo não
Seria muito mal se fosse essa a situação
Chega de preconceito e viva a união
De toda raça, toda cor, sexo e religião

Quer saber? Sou como sou
Não quero me encaixar em nenhum padrão
Pode crer, sou como sou
Não preciso ser galã de televisão
(Eu não, eu não)

domingo, 12 de agosto de 2012

Dia dos pais

Oi galera. Eu não escrever nada aqui hoje, pois eu gosto de escrever aqui quando eu estou feliz, embora sempre seja mais fácil escrever quando se está triste. Não se o por quê, mas tudo bem. Mesmo quando eu escrevo triste, eu gosto de escrever quando eu esteja sofrendo por algo.


Hoje é diferente, é sofrendo por um vazio. Um vazio de achar que a via às vezes nos dá poucas oportunidades. Ou quem sabe é papo de quem não sabe onde achá-las. Mas, enfim...o papo agora é outro.


Vi isso aqui na página dos D1v4s no Facebook e achei muito legal (pra quem sabe o que é o D1v4s sabe que a página não é das mais emotivas...):





 "Adele foi criada apenas pela mãe, e nunca teve nenhum relacionamento com seu pai, que lhe abandonou antes mesmo de nascer"

Hoje, de fato, é dia dos pais. Eu entendo e concordo com a posição da minha querida Maíra do Nossa Família Colorida, que acredita que essa data acaba excluindo outras formas de famílias tradicionais. Pais ou mães falecidos, desconhecidos ou simplesmente "não existentes" acabam por deixar o dia dos pais ou das mães um pouco desconfortáveis. 

O meu caso é parecido com o da Adele. Não que eu não tenha um pai ou ele tenha fugido, mas, quando a gente cresce, a gente vai percebendo e criando nossos próprios valores e o do meu progenitor não acaba por bater com as minhas. E eu não fico triste por mim: fico por ele, por perder e não ter nenhum amor meu. Para mim, ética e bom caráter são fundamentais para um ser humano, então eu não tenho outra coisa a desejar um grande feliz dia dos pais para minha mãe, que é uma pessoa extremamente fantástica e de quem eu basicamente sou quase uma cópia! A gente é muito parecido!

Mas enfim... vale também aqui deixar um parabéns para pais que eu realmente admiro. Mesmo que eu não conheça ou não saiba suas histórias, aposto que nada deve ter sido tão fácil. E eu, como um sonhador e muito "queredor" de ser pai também futuramente, desejo àqueles que o são (ou querem ser!) um feliz dia dos pais!

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Check list

Check list do marido...

1. Príncipe mais-que-encantado:

Bonito

Simpático

Educado

Inteligente

Gentil

Bem humorado

Engraçado

Sincero

Fiel

Leal

Rico


2. Ideal:


Que goste de mim



Que goste da minha família



Que aprecie boa música como Britney, Rihanna e Beyoncé



Que coloque o lixo para fora



Que não deixe toalha molhada em cima da cama






3. Que será aceito:

Que tenha ensino fundamental completo


Que tenha pinto




 Oops... foto errada...

.
..
...
....
.....
......
.....
....
...
..
.


Quem é o pai?

Bom dia, gente! Devo chegar no trabalho um pouco atrasado hoje por estar passando aqui, mas já vale a pena!

Acordei e vi na página do Casamento Igualitário que foi feito no último programa da Xuxa, no dia 04/08, uma reportagem sobre adoção e apareceu sobre adoção gay. Obviamente fui ver o vídeo.

Com muito prazer digo que chorei no pequeno trecho que começa aos 7:37. A família apresentada é um grande exemplo de amor, carinho e tapa na cara do sociedade, embora eu saiba que muitos idiotas não consigam compreender, de fato, a beleza disso. Tanto que um imbecil, lá no estúdio, durante o vídeo, pergunta "quem é o pai?" e a Xuxa ouve e logo depois do vídeo responde à altura. A reportagem e o vídeo estão aqui.

Com essa dose de felicidade eu começo minha segunda-feira e espero que todos que passarem aqui, independentemente de quando seja, também ganhem essa felicidade! Vou chegar atrasado no trabalho e vou falar que foi culpa do amor! Beijos, fui!

sábado, 4 de agosto de 2012

Um pedaço de mim

Hoje mais cedo eu estava ensaiando postar algo aqui. Bem, não seria um post muito animador, eu acho. Eu iria fazer a linha negativista (ou realista), sei lá!

Bem, essa depressão vinha de ontem, quando saí para a balada com um colega. Eu, desde que me auto-assumi em 2010, tô numa versão masculina de Britney sendo "I'm not a boy, not yet a man". Então, ontem, com as minhas intermináveis filosofias fiquem pensando nas superficialidades da vida.

Dessa vez não precisa nem separar os "mundos hétero e gay", pois em ambos tem isso. Mas, o ponto é que tudo hoje tá tão superficial quanto margarina! 

O resumo da ópera é (já que hoje eu estou econômico!) que, por conta disso, boa parte dos meus sonhos deveriam ir por água abaixo e talvez trocado por outros, porque é muito complicado contar com alguém para "produzir" felicidade, se "os mundos" não parecem serem capazes de trazer algo especial.

Mas aí (agora entra o momento que parece auto-ajuda!) eu fui ver o filme da Katy Perry. Eu, lindamente sozinho fui! (Eu sei que isso + o filme são as coisas mais gays do mundo, mas é o que tinha pra meu sábado à noite!). Enfim... não conseguindo não parecer auto-ajuda, dona Kátia fala no filme sobre os seus sonhos, os que deram muito certo, outros que fracassaram bastante (Russell Brand, você é um imbecil!). Enfim (de novo!)... às vezes eu esqueço que nem tudo na vida dá certo e também não dará um monte de coisa, mas terão outras que darão, então, não faz sentido desistir dos sonhos. Não faz sentido algum viver uma vida sem poder sonhar com momentos sempre felizes.

Já que esse post tá tão "seção auto-ajuda" da livraria não quero deixar de deixar (pfvr!) aqui um pedaço do mega famoso trecho do Pequeno Príncipe:


É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou. Entregar todos os teus sonhos porque um deles não se realizou, perder a fé em todas as orações porque em uma não foi atendido, desistir de todos os esforços porque um deles fracassou. É loucura condenar todas as amizades porque uma te traiu, descrer de todo amor porque um deles te foi infiel. É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo. Espero que na tua caminhada não cometas estas loucuras. Lembrando que sempre há uma outra chance, uma outra amizade, um outro amor, uma nova força. Para todo fim, um recomeço.